.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial

-

Eles,
Fizeram guerra sem saber a quem, morreram nela sem saber por quê..., então, por prémio ao menos se lhes dê, justa memória a projectar no além...

Jaime Umbelino, 2002 – in Monumento aos Mortos na Guerra Colonial, em Torres Vedras


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS.

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

sábado, 31 de maio de 2008

Relembrando...pelo José Costa


Pica Sinos!

Li um texto no Blog sobre a nossa primeira baixa. Andei a pesquisar nos vários textos mas não o encontrei mas penso que foi de tua autoria. No meu arquivo encontrei uma foto deste nosso infortunado companheiro, que aqui vos envio. No meio da foto sou eu, à minha esquerda já não recordo o nome, sei que era enfermeiro/maqueiro da zona do Estoril. E à minha direita é o nosso companheiro cujo JEEP (GMC?) lhe esmagou o rosto, também não recordo o nome.
Foto tirada na Parede enquanto formavamos o Batalhão em Março/67

Um bom f.d. semana para todos
Costa

1 comentário:

disse...

Amigo Costa e Companheiros
Ainda hoje me custa recordar esse triste episódio.
Que maneira macabra de morrer !!
Enfim, a maldita guerra !!
O acidente foi com uma GMC e o condutor era o Régua, que quase enlouqueceu, lembram-se.
Ele estava num pranto na caserna, chorava que metia dó, e houve pessoal que recolheu as armas todas da caserna, pois ele queria matar-se...que tragédia.
Mas o Régua não teve culpa nenhuma, quem ia adivinhar que ele estava a dormir mesmo junto ao rodado da GMC.
O camarada á tua esquerda era um grande maluco e ficou pirado.
Lembram-se que ele até se oferecia para ir fazer operações?
e que andava com um porta-chaves que era a orelha de um nativo/nativa, já não sei precisar.
Acabou por vir evacuado para a Metrópole, pois fez uam data de asneiradas.
Um abraço para todos Zé Justo