.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes, furriel milº Angola ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

"NINGUÉM DESCE VIVO DUMA CRUZ!..."

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

domingo, 8 de junho de 2008

Histórias que ficam por contar... pelo Pica Sinos


AS HISTÓRIAS QUE FICAM POR CONTAR

Para desanuviar e desafiar quem por elas passou, as histórias que hoje (não) vou contar decorrem entre duas “personagens”……. O Raul e o Pica Sinos.

O Raul, depois das limpezas mais cuidadas que desde de manhã efectuou, no alvéolo onde tem estacionada a sua velha relotte, num dos Parques de Campismo na Costa da Caparica, disse: ……Oh Pica….já é tarde, não queres ir à deita? Não, francamente não me apetece, não tenho sono, vou antes rever, agora no silêncio, umas fotografias do nosso tempo em Tite e, procurar uma história ou crónica para tu contares, diz o Pica.
A esta hora, retorquiu o Raul? Sim….diz o Pica Sinos, todas as horas são boas para recordar! Vês esta fotografia com as vacas a entrarem no aquartelamento de Tite que foi “produto” de uma operação militar? É capaz de dar uma boa história……Vamos, conta lá. Não, não, diz o Raul….nem pó, essa história é muito complicada; há época houve quem dissesse que o gado, que aí vês retratado, foi “abandonado” pelo IN no seu acampamento ao pressentir o avanço das NT. Outros, “más-línguas”, disseram que o gado foi roubado para subsistência de todos os que estavam aquartelados em Tite e em Jabadá. E ainda outros disseram que o gado foi “comprado”, ficando o respectivo valor para pagamento, à disposição dos legitimos donos, na secretaria do quartel. E não só…. Também teria que descrever (o que proferiram alguns) do esforço físico desenvolvido com a penosa marcha que a condução da manada pela mata e bolanhas em dias que foram de chuva ocasionou, sistematicamente acompanhados por um terrível mosquedo. Como vez...... (diz o Raul), a história torna-se complicada de contar, a esta hora não dá, mais a mais acresce que não há uma só versão dos acontecimentos.

O Pica não desiste. De novo a olhar para a fotografia, diz ao Raul: Então se essa não dá, pode ser interessante contares como é que as vacas, está implícito, eram mortas e onde. Éh pá…. Que raio……lembras-te de cada uma. Óh Pica Sinos pára com isso; sabes que tinha que contar que não havia propriamente um “matadouro”, que as vacas eram mortas no mato, mas perto do nosso aquartelamento, com um tiro “no cabeça”, que os jagudis, aves rapinas, bicharocos protegidos por lei (os almeidas lá do sitio) não se podiam matar porque eram eles que faziam a “limpeza” do resto das carcaças, etc., etc. Desculpa lá mas não estou para aí virado. Essa não!

“Chato”, como o conhecem, o Pica Sinos não desiste: Então está bem. Prometo que não te importuno mais se me contares, por que razão aparece um camarada em dia de chuva, só em calções e um outro de capa de borracha a proteger-se da dita chuva? Oh Pica, deves estar a brincar comigo, diz o Raul, não vês que o que está de capa de borracha foi um dos operacionais que foi buscar o gado. Certo que levou horas a palmilhar por terrenos lamacentos e obstáculos vários….não dava muito jeito ir de calções e de chinelos enfiados nos dedos dos pés para uma operação militar, digo eu! O que é que achas? O outro que está de calções é obvio que estava no aquartelamento ao fresco e no fresco queria continuar a estar. Sabes, quando chovia, malta havia que gostava de tomar banho com a água das chuvas. Eu e o Justo também o fizemos. Mas aqui só para nós, penso que o camarada foi despido, ou melhor, foi calções só vestido, na ânsia de ver mais de perto os bifinhos que no dia a seguir lhe iam tocar.

Deixa-te de tretas…. Diz o Pica Sinos, vou dormir, mas amanhã, Raul, tens que contar as histórias por que passaste ligadas às garraiadas que esta manada ocasionou.

Raul Pica Sinos

Sem comentários: