.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Noite de São João - no Porto.


Caros companheiros e amigos

É do São João que vos venho falar, sendo certo que não tenho a jorrar na caneta a destreza que o Hipólito tem, bem como o Pica Sinos, o Cavaleiro ou o Costa.

A noite de São João festeja-se de 23 para 24 de Junho, no Porto, em Braga e em muitas outras 35 localidades do país. Começa por volta das 22 horas e vai até de manhã. Mas é do Porto que agora vos falo. No dia 24 é feriado municipal no Porto. São as Festas da Cidade e já se comemoram há 600 anos.

Se algum de vós nunca foi ao São João ao Porto, não sabe o que perdeu, mas ainda está a tempo.

Começo por vos dizer que para entrar na alma do arraial, o melhor é ir de comboio até à estação de São Bento, que fica mesmo no centro da cidade, isto para quem vai do Sul, pois é a esses que me dirijo, visto que os do Norte já conhecem tudo isso.

Os que estão no sul podem ir de comboio que sai às 20 horas da gare do Oriente e chega a São Bento por volta da meia noite – a hora ideal. No regresso sai um comboio por volta das 7 da manhã que chega ao Oriente pelas 11 horas. (consultar horários da CP).

Como já viram é preciso andar toda a noite a pé dum lado para o outro, com direito a algum descanso nas soleiras das portas dos prédios, nas várias ruas por onde passa toda aquela quantidade imensa de gente. As ruas da baixa do Porto, até às Fontainhas são um mar de gente.


alho pôrro

E o que faz todo esse povo durante esse tempo? A maior parte leva na mão alhos porros (o mais tradicional), outros levam manjericos, ramos de rosmaninho, ramos de cidreira, ramos de flores e passam esses ramos pela cara uns dos outros ou outras. Mais recentemente apareceram os martelinhos, iguais aos do carnaval, para bater na cabeça das pessoas. E por ali andam entretidas naquele ritual, fazendo uma algazarra danada.

Há comes e bebes por todo o lado, febras, sardinha assada, caldo verde. Há zonas do Porto onde é ou era tradição, comer pão barrado com manteiga e canela, acompanhado com uma caneca de café – um verdadeiro petisco, pois tinha naquela altura do ano um sabor especial.

Bebe-se cerveja e vinho do bom (só o Hipólito teve azar porque lhe deram uma zurrapa qualquer, quem sabe pela mão divina, para se pagar doutras zurrapas que ele deu a beber na vez do nectar celestial, quem sabe ...)

O arraial estende-se até às Fontainhas, para sul, ou até à Boavista, para norte. E nesses pontos estão os carroceis, os carrinhos de choque e outros entretimentos para quem gosta. E também as barracas de farturas.

Mas nas Fontainhas existe também uma outra atracção que encanta o nosso olhar e que são as Cascatas Sanjoaninas.

São autenticas obras de arte, feitas pelos vários moradores, artesãos anónimos, e que retratam com figuras, o dia a dia das cidades e dos campos, com casinhas, pontes, rios, musgo, muito musgo, coretos com musicos, comboios electricos, carros electricos, rodas de puxar água, moinhos, rebanhos de ovelhas, tudo em ponto pequeno, tudo em movimento, muito iluminado tendo como figura central o São João, Padroeiro da Cidade Invicta.

Quem conhece a aldeia do José Franco em Mafra, tem uma pequena amostra do que são as Cascatas Sãojoaninas.

Estas cascatas espalham-se por toda a cidade, nos diversos bairros, umas maiores outras mais pequenas, umas mais ao pormenor e já com novas tecnologias, outras mais à moda antiga. Vale a pena ver estas cascatas. E por perto há sempre um grupo de crianças pedindo um “tostão” para o São João.

Depois há também os bailaricos nas ruas, com conjuntos ou aparelhagens musicais e que cada bairro procura fazer melhor que o vizinho. As ruas estão engalanadas com arcos e balões iluminados. É costume haver grupos a lançarem grandes balões de ar quente o que dá um lindissimo colorido nos céus da noite de São João.

O Jornal de Noticias(e também o Primeiro de Janeiro), promovem nesta altura um concurso de quadras Sanjoaninas sendo atribuidos prémios às mais castiças e mais bem feitas.

sardinha assada que pinga no pão, uma delicia


balão de ar quente

cascatas Sanjoaninas

No meu tempo de jovem havia uma cascata famosa, com bailarico, lá para os lados do Amial – a cascata do Sr. Américo. Ficava sempre em 1º. lugar em todos os concursos. Era a mais completa, a mais iluminada, a mais pormenorizada, uma autentica maravilha. Dava gosto passar lá um tempo a admirar toda aquela obra de arte. O baile era na rua, com direito a discos pedidos, pois era com discos de vinil que se fazia a festa. A rua era cortada ao transito.

São João é meu santinho
E concedeu-me um desejo
Arranjou-me um maridinho
E eu paguei-lhe com um beijo

Se eu saltar a fogueira
E queimadinha ficar
Não hei-de ser a primeira
A com o fogo brincar

A fogueira eu saltei
Na noite de São João
E toda a noite marchei
Com meu arquinho e balão

(de Paula Delvis)

Cerca da meia noite começa o fogo de artificio na Ribeira, junto à Ponte D.Luiz, frente a Vila Nova de Gaia.

fogo de artificio com a ponte de D.Luiz e a Serra do Pilar ao fundo

E ao raiar do dia,  a noite de São João chega ao seu fim. É hora de regressar a casa ou apanhar o comboio em São Bento.

Bom São João.
LG.
__________________________________
...e acabou!
_______________________________
Raul Pica Sinos disse...


Finalmente, alguém do norte, angariou coragem para escrever sobre as festividades do S. João no Porto. Creio ser deveras gratificante para a cidade e para aqueles milhares de pessoas que por esta ocasião a visitam, com o intuito de com os naturais comemorarem a data em honra do santo e não só.

Bom em jeito de bricadeira quero dizer ao Guedes, que quem no Porto ou arredores quizer vir passar o S. João a Almada, o horário dos comboios é o mesmo, só que em sentido contrário, com ligação directa da estação do Oriente ao Pragal, sendo esta uma das freguesias mais tipica de Almada. E Viva o S. João
Pica Sinos
24 de Junho de 2011 12:05
_____________________________
Hipólito disse...

Desta, estiveste muito bem, Guedes ! Aleluia !
E, não te apoquentes lá c’o (S. João) de Almada.
Esse, não é (João)) Baptista.
É o (S. João) de Latrão.
Que, como sabes, latrão, na evolução do latinório pr’ó português, deu, nada mais, nada menos, que ladrão ! . . .
S. João de Almada ?!!! Só cá faltavam esses ! . . . e os comboios pr'ó Pragal ! . . .

Um abraço
Hipólito.

2 comentários:

Raul Pica Sinos disse...

Finalmente, alguém do norte, angariou coragem para escrever sobre as festividades do S. João no Porto. Creio ser deveras gratificante para a cidade e para aqueles milhares de pessoas que por esta ocasião a visitam, com o intuito de com os naturais comemorarem a data em honra do santo e não só.

Bom em jeito de bricadeira quero dizer ao Guedes, que quem no Porto ou arredores quizer vir passar o S. João a Almada, o horário dos comboios é o mesmo, só que em sentido contrário, com ligação directa da estação do Oriente ao Pragal, sendo esta uma das freguesias mais tipica de Almada. E Viva o S. João

Hipólito disse...

Desta, estiveste muito bem, Guedes ! Aleluia !
E, não te apoquentes lá c’o (S. João) de Almada.
Esse, não é (João)) Baptista.
É o (S. João) de Latrão.
Que, como sabes, latrão, na evolução do latinório pr’ó português, deu, nada mais, nada menos, que ladrão ! . . .
S. João de Almada ?!!! Só cá faltavam esses ! . . . e os comboios pr'ó Pragal ! . . .
Um abraço