.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Conto de Natal...


Espírito Natalício,

(Foi há 100 anos).

Em Dezembro de 1914, no auge da I guerra mundial, conta-se  que, na Noite de Natal, os soldados beligerantes (ingleses e alemães), tomaram consciência do significado da noite que viviam, e, nessa tarde de 24 de Dezembro, os alemães começaram a decorar as trincheiras com velas. Por sua vez, os “inimigos” ingleses responderam com canções de Natal.
De repente, em vez de granadas, atiravam-se prendas dum lado para o outro (chocolates, álcool, tabaco…)

As armas calaram-se, os corpos, já sem vida e tombados em ambos os lados, foram retirados e fizeram-se funerais conjuntos….

Homens (inimigos na guerra), que gelavam nas trincheiras, começaram a entoar canções de Natal, que eram cantadas numa mistura de inglês e alemão e, cem mil soldados,   acabaram confraternizando e até mesmo jogando futebol em terra de ninguém…!!!

Foi um verdadeiro milagre de Natal…!!!

Este relato não é apenas “um conto”, pois a existência de alguns testemunhos e fotos da época (recolhidos ainda em vida de alguns intervenientes), fazem prova deste interessante e comovente acontecimento…!!!


Infelizmente nada se aprendeu desde então…!!!

2 comentários:

Albertina Granja disse...

Muito bonito....!!!
O Espírito Natalício sobrepôs-se às atrocidades da guerra....!!!
FELIZ NATAL
FELIZ ANO NOVO
Sem guerra, com muita paz....
AG

leandro guedes disse...

Obrigado Albertina.
Conto ou não, é uma história bonita, sem guerra com muita Paz, como diz.
Bom Ano Novo
Leandro Guedes