.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

domingo, 19 de outubro de 2014

Terapia para a alma...

Caros companheiros

Nesta tarde de domingo, tive o grato prazer de assistir a um excelente concerto musical, interpretado por jovens, muito jovens,  da Orquestra Académica Metropolitana de Lisboa do qual vos dou conta. Neste programa faziam parte obras de B. Bartok, C.Debussy e Beethoven. Deste ultimo foi interpretada a empolgante 5ª. sinfonia, em todos os seus quatro andamentos.
É considerada pelos especialistas "o mais famoso motivo melódico de toda a História da Música"
É um assombro ouvir esta musica.
Incluo o programa e um video com a interpretação reduzida de cerca de 8 minutos da 5ª. sinfonia, que vos convido a ouvir, já que a integral tem cerca de 40 minutos. Esta interpretação reduzida foi recolhida do youtube e por isso executada por outra orquestra, que não a que ouvi.
Na verdade, uma autentica terapia para a alma, se assim se pode dizer!
Saudações.
LG.

nota - apenas para referir que a Orquestra Académica Metropolitana foi criada no âmbito da Academia Nacional Superior de Orquestra - um instituição única no país, destinada a formar músicos profissionais nas áreas de Instrumentos e Direcção de Orquestras.

6 comentários:

Albertina Granja disse...

Também tive o prazer de assistir e gostei muito....
Uma fantástica orquestra (um palco cheio de juventude)e uma interpretação fabulosa...!!!

Albertina Granja

Jose Patricio disse...

Boa divulgação, Leandro.
e é como diz. Ontem, estive também no Teatro-Cine, a assistir a uma performance da actriz Sara Ribeiro - Os Negros e os Deuses do Norte -, da Cia. João Garcia Miguel.
O programa de hoje no Teatro-Cine foi imperdível, mas fui a Lisboa assistir a um espectáculo belíssimo, que não digo para não fazer crescer água na boca. Em Lisboa e Torres Vedras ao mesmo tempo é que não pode ser. Deus não dá tudo.
Boa semana!

leandro guedes disse...

Obrigado amigos pelos vossos simpáticos comentários.
Na verdade foi uma tarde memoravel, com casa cheia, como há muito não via no Teatro-Cine.
Mas também não era para menos - uma orquestra com 63 musicos, um maestro, instrumentos dos mais variados, tais como flautas, oboés, clarinetes, fagotes, trompas, trompetes, trombones, tuba, timpanos, percussão, harpa, violinos, violas de arco, violoncelos e contrabaixos, só podia ter esta grandiosidade. Gostei imenso. Mas já agora gostava de saber onde foi o José Luis, porque com certeza algo terá para nos contar.
Muito obrigado a ambos.
LG.

José Justo disse...

Esta sinfonia é eterna, e a força instrumental é poderosíssima.
Sempre que a oiço, lembro-me do filme "O Dia mais Longo".

Joaquim Cosme disse...

Gostei de ouvir aqui através do computador. Ora se eu estivesse no concerto seria uma maravilha. Joaquim Cosme

leandro guedes disse...

Aos amigos Justo e Cosme - Na verdade ao vivo as obras têm outro valor, principalmente quando interpretadas por grandes (e jovens) orquestras.
Muito obrigado.
Um abraço.
LG.