.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS.

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

sábado, 19 de julho de 2014

José Fanha_canção para minhas filhas

Ainda no ãmbito das "comemorações" do primeiro ataque sofrido em Tite, a 19 de Julho de 1967, quando ainda éramos "periquitos", trago-vos aqui um belo poema de José Fanha. 
“A canção para as minhas filhas” faz parte da obra “José Fanha  poesia” editada pela Lápis de Memórias - para as nossas filhas, para os nossos filhos, para os nossos netos e netas...


3 comentários:

Albertina Granja disse...

Pelo que li, este dia 19 de Julho está aqui a ser recordado, com muita amargura, mágoa, revolta..., enfim..., com um misto de sentimentos que no fundo não traduzem apenas o sofrimento vivido nesse dia (por ser o primeiro ataque que sofreram), mas por tudo o que passaram durante toda a v/permanência no Ultramar....
Sem dúvida que é muito difícil alguém esquecer....!!!

Joaquim Cosme disse...

Belo poema de José Fanha e muito bem recitado. Joaquim Cosme

leandro guedes disse...

O que passou, passou. Mas não esquecemos.
E é sempre bom recordá-lo, com um belo poema do José Fanha, em vez de amarguras e ressentimentos que não nos dão nada em troca.
Obrigado amigos pelos vossos comentários.