.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

"Amigo é aquele que na guerra, nos defende duma bala com o seu próprio corpo"

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial

-

Eles,
Fizeram guerra sem saber a quem, morreram nela sem saber por quê..., então, por prémio ao menos se lhes dê, justa memória a projectar no além...

Jaime Umbelino, 2002 – in Monumento aos Mortos na Guerra Colonial, em Torres Vedras
---

“Aos Combatentes que no Entroncamento da vida, encontraram os Caminhos da Pátria”

Frase inscrita no Monumento aos Mortos da Guerra Colonial, no Entroncamento.


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, O SPM, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS, NÃO ESQUECENDO AS ENFERMEIRAS PARA-QUEDISTAS.

sábado, 26 de dezembro de 2009

o último aerograma de Nova Sintra...

Amigos
Recebi do Fernando Teixeira o email que vos mando.
O Fernando Teixeira foi dos últimos a sair de Nova Sintra.
É muito interessante o que ele nos escreve e as fotos que
nos manda muito elucidativas que por aqui lhe agradeço em nome do pessoal.
Espero camarada que nos faças a entrega de um texto, para publicação
no nosso bloog, tendo em conta a simbolização da entrega das nossas posições
ao PAIGC.
Até lá o Guedes não deixará, quando lhe for oportuno, publicar as fotos e o pequeno
texto que as acompanha.
Tenham um bom fim de semana
Pica Sinos
---------------------------------------------
Caro Camarada Raul Sinos,

Reparei no blogue em que aparece pessoal de Nova Sintra. Pessoalmente, estive colocado como Alferes em Nova Sintra, integrado no B. Art. 6520/72. Estive lá até ao dia em que entregámos a posição ao PAIGC, um dia memorável pelo seu simbolismo. Finalmente tinhamos deixado de morrer por nada. Pessoalmente, acabei por sair da Guiné dois dias antes da independência.

Na primeira fotografia pode ver uma imagem desse dia em que se deu aquilo que era inimaginável para todos nós: convivermos com o IN. Nessa fotografia eu estou de camuflado e sou o primeiro da esquerda. Na segunda fotografia pode ver mais uma imagem do dia em que “fechámos” a porta. Na terceira fotografia (legendada) temos o aquartelamento tal qual era em 1972.

Um abraço

Fernando Teixeira

1 comentário:

Anónimo disse...

estive em tite integrado no bart 6520/72 era o cabo SILVA da arrecadacão de sapadores gostaria de ter contactos com antigos companheiros. o meu imail e.

tite1950@portugalmail.pt