.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

"Amigo é aquele que na guerra, nos defende duma bala com o seu próprio corpo"

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial

-

Eles,
Fizeram guerra sem saber a quem, morreram nela sem saber por quê..., então, por prémio ao menos se lhes dê, justa memória a projectar no além...

Jaime Umbelino, 2002 – in Monumento aos Mortos na Guerra Colonial, em Torres Vedras
---

“Aos Combatentes que no Entroncamento da vida, encontraram os Caminhos da Pátria”

Frase inscrita no Monumento aos Mortos da Guerra Colonial, no Entroncamento.


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, O SPM, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS, NÃO ESQUECENDO AS ENFERMEIRAS PARA-QUEDISTAS.

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Parabens ao nosso coronel João Manuel Pais Trabulo





O nosso coronel João Trabulo, passa hoje mais um aniversário. Os nossos votos de parabens, com os desejos que continue com saúde por muitos mais anos.
Um Abraço.
Leandro Guedes.

domingo, 22 de julho de 2018

Petisco no Pombalinho, na casa do Pica


“Olhem p'ra eles . . .
O Vitor Barros a "perorar" sobre o estado da nação.
O José da Costa, aprumadinho, como convém a um gentleman. . . , não vá espantar a caça . . .
O Raul Pica Sinos, a fazer contas à vida com tanto "lateiro" à carga . . . .
Hipólito”



sexta-feira, 20 de julho de 2018

Recordando o almoço em Macedo de Cavaleiros.







"Para todos recordarem alguns bons momentos, um grande abraço e boa saúde, as rápidas melhoras para os doentes.
Alberto Camelo."

19 de Julho de 1967





19 de Julho de 1967. Foi o baptismo de fogo dos periquitos do BART 1914, quando o IN atacou o nosso Quartel em Tite. Alguém se lembra ou já está tudo esquecido?. Abraços. 
Leandro Guedes.

terça-feira, 10 de julho de 2018

A dôr do nosso amigo Luis Manuel Dias.


"Boa tarde, Amigas/os.
Estranharão, alguns, estar a pensar e a escrever-vos, neste meio, com tão soalheira tarde de Verão (só prejudicando o equilíbrio, a beleza dela, nestas bandas, o 'canto' crescente de alguma nortada) propícia, q. b., a um desfrute na praia'....
Ao invés. Ontem, pouco ou nada me viram, por aqui.
Hoje, passada a triste rememoração, em poucas palavras vos farei cientes.
Passados ontem, 7 de Julho, foram 30 anos que o nosso João Carlos desapareceu, levado nas águas da Barragem da Caniçada (Terras do Bouro, ao Gerês). Ficaram-nos dois rapazes e uma moça, cada qual na sua vida.
O João foi passar com amigos uns dias, em campismo. E, ao pretenderem ir à margem contrária, na Serra Amarela, onde moraria alguém deles conhecido, foi por água abaixo, ao se ter voltado o caiaque monolugar, quando atravessava o lago. Tudo pela elevada corrente, que se mediu um dia depois (no fim conjunto dos rios Caldo e Gerês a desaguarem no Cávado). Foi em 88. Ano deveras chuvoso. Logo, com alta força de água. Debaixo da ponte, entre as ribeirinhas Rio Caldo, de um lado e Vilar da Veiga, do outro, passava a menos de 2 metros !!! E havia uns 70 metros de profundidade, na zona, aumentando quanto mais se ia para a Barragem, ela mesma, uns 6 km adiante. E por ali ficou, mau grado esforços que, com amigos, fizemos, no sentido de o recuperar.
--- ---
Vou-vos deixar um Soneto, feito a propósito. Gritos de alma? Talvez..., ou da insuficiência humana !!!
--- ---
‘ In memoriam ’ JC

soneto

Filho meu que, sozinho, foste
P’ra tão longe do lar paterno …
Entregaste teu riso forte
Nas corcovas do sempiterno !

Será que tenha merecida
Desventura tamanha assim?!
Porque, destarte, oferecida
A levaste a aventura ao fim?

A companheiros, como tu,
Roga, no éter onde moras,
Mísero, eu… me perdoem.

E da terra não me esconjurem !
Do brejo, em que ninguém demora,
Não me mandem lá p’rás lonjuras !

LMDias,24NOV96
In facebook de Luis Manuel Dias".

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Francisco Magro

O nosso companheiro e amigo Francisco Magro, de Beja, tem estado a passar um mau bocado devido a complicações do foro respiratório. Já esteve internado, agora está em casa, mas as coisas não têm corrido bem, apesar dos tratamentos entretanto efectuados. Falei com a esposa que envia um abraço do marido a todos os companheiros.
As tuas melhoras amigo são os nossos votos.
Leandro Guedes.



quarta-feira, 4 de julho de 2018

Mais dois amigos fizeram anos - Santos Oliveira e Julio Garcia


Santos Oliveira do BCAV 1860




Parabéns ao Júlio Garcia, que passa hoje mais um aniversário.
Um grande abraço, que passes bem o dia com saúde, junto dos teus.

Leandro Guedes.





Também o Santos Oliveira, fez anos no passado dia 29 de Junho. O Santos Oliveira pertenceu ao Batalhão 1860, que nos precedeu em Tite e que esteve ainda algum tempo connosco.
Ao Santos Oliveira um abraço de parabéns, embora com atraso. Votos de boa saúde e que contes muitos.

Leandro Guedes


terça-feira, 3 de julho de 2018

MEMORIAS DE UM ALFERES- Alf. Moreira


O Alf. Moreira pertencia à CART 1690, a qual fazia parte do BART 1914. Editou agora um livro cujo tituto é "MEMORIAS DE UM ALFERES", sendo a noticia do seu lançamento, publicada no Jornal Badaladas.