.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial

-

Eles,
Fizeram guerra sem saber a quem, morreram nela sem saber por quê..., então, por prémio ao menos se lhes dê, justa memória a projectar no além...

Jaime Umbelino, 2002 – in Monumento aos Mortos na Guerra Colonial, em Torres Vedras


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS.

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

quarta-feira, 22 de julho de 2015

UM ALERTA - CUIDADOS A TER COM A NOSSA SAÚDE...


Meus caros companheiros e amigos:

Como é do conhecimento de todos, a faixa etária em que nos encontramos, é, infelizmente,  no que à saúde diz respeito, propícia a surpresas bastante  desagradáveis, sobretudo quando nos é diagnosticada uma doença de cancro…
Sabemos também que o cancro do colon e do recto já “bateu à porta” de alguns de nós e que, inevitavelmente, isso tem implicado os tratamentos e/ou intervenções adequados e necessários, que lhes têm permitido continuar a fazer a sua vida.
Assim, e para os mais despreocupados quanto aos exames adequados ao despiste da doença, aqui fica o alerta para que os façam com a brevidade possível, pois só assim se poderá evitar um mal maior…
Os exames em apreço devem ser feitos, atempadamente, em qualquer Unidade Hospitalar do Serviço Nacional de Saúde.

 “O cancro do cólon e do recto é uma doença tratável e curável.
O tratamento pode assumir diversas formas, incluindo a cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Após tratamento inicial, os doentes deverão ser seguidos para assegurar a identificação de nova doença ou doença persistente, por forma a possibilitar tratamento adicional atempadamente. A identificação e tratamento precoces dá a melhor possibilidade de uma cura de longo prazo e uma vida activa produtiva.”
Para esclarecimentos mais pormenorizados  aconselhamos a pesquisa do seguinte site:

http://www.apostomizados.pt/pt/item/9-artigos/305-cancro-do-colon-e-do-recto-tratamento-e-acompanhamento


1 comentário:

Albertina Granja disse...

É bom estar atento.....
Não se pode nem se deve facilitar..!!!
AG