.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial

-

Eles,
Fizeram guerra sem saber a quem, morreram nela sem saber por quê..., então, por prémio ao menos se lhes dê, justa memória a projectar no além...

Jaime Umbelino, 2002 – in Monumento aos Mortos na Guerra Colonial, em Torres Vedras


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS.

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

quinta-feira, 28 de maio de 2015

"Chorinho" - carta do Hipólito para o Pica Sinos...

Pica Sinos
Hipólito


Xôr Raul Pica Sinos
Pelas minhas contas, expirou, já, o prazo de inscrição para a inauguração da tua "village".
Sem mé, nem meio mé!
E de nada adiantam esses "rabuzanos" tentarem perfilar-se . . . .
Por conseguinte, vamos planear o evento:
Para além da água benta, estou a arregimentar "comestícios e bebestícios" suficientes para os quatro, nós os "doises" e respectivas.
Das 12 sardinhas e outros tantos carapaus, tratas tu com contas a meias;
Uma brôa de milho caseira e uma regueifa de Valongo;
Uma garrafita de vinho verde frisante, pr'ás mandamas, uma de verde carrascão, para ti, e uma de maduro, do Ferreira de Lamego, para o rapaz;
Umas "jeitonas", de aperitivo, curtidas em pote de barro, como manda a santa madre igreja;
De sobremesa, queijinho do Mestre, anti-colesteróis , triglicerídios e outras maleitas, e umas laranjas "estonadas c'um açucre";
Uma garrafita de veneno, isto é, de cachaça do Ferreira de Lamego;
E, conforme o tempo vai passando, lembrar-me-ei de mais logística . . .
Ah! . . .
A m/consorte pergunta se queres um azevinho, daqueles com bolinhas no Natal, para "prantares" aí na fazenda.
Vai dizendo do que precisas mais, a mala do carro é grande.
Um xi-coração e até, espero, breve.

Nota: levo o gingarelho para fazer vídeos só para meter nojo ao pessoal, no que serei especialista . . .

Sem comentários: