.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

"NINGUÉM DESCE VIVO DUMA CRUZ!..."

António Lobo Antunes, ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

sábado, 25 de abril de 2015

25 de Abril... relembrando!

Uma imagem, um video, uma canção, valem mais que mil palavras! Neste dia... Há lá melhor maneira para relembrar o 25 de Abril?!...

capitão Salgueiro Maia, falando ao Povo no Largo do Carmo, na manhã do dia 25 de Abril




Duas canções de intervenção, actuais, do 25 de Abril de 2015

Um ex-combatente sem abrigo, actual


poema de José Fanha, da altura do 25 de Abril de 1974

Canção de intervenção, do 25 de Abril de 1974, cantada por Sergio Godinho e José Mário Branco


cartazes politicos, a seguir ao 25 de Abril de 74 

NÃO, NÃO ESTOU VELHO!!!!!!

NÃO SOU É SUFICIENTEMENTE NOVO  PARA  JÁ SABER TUDO!

 Passaram 40 anos de um sonho chamado Abril.

E lembro-me do texto de Jorge de Sena…. Não quero morrer sem ver a cor da liberdade.

Passaram quatro décadas e de súbito os portugueses ficam a saber, em espanto, que são responsáveis de uma crise e que a têm que pagar…. civilizadamente,  ordenadamente, no respeito  das regras da democracia, com manifestações próprias das democracias e greves a que têm direito, mas demonstrando sempre o seu elevado espírito cívico, no sofrer e ….calar.

Sou dos que acreditam na invenção desta crise.

Um “directório” algures  decidiu que as classes médias estavam a viver acima da média. E de repente verificou-se que todos os países estão a dever dinheiro uns aos outros…. a dívida soberana entrou no nosso vocabulário e invadiu o dia a dia.

Serviu para despedir, cortar salários, regalias/direitos do chamado Estado Social e o valor do trabalho foi diminuído, embora um nosso ministro tenha dito decerto por lapso, que “o trabalho liberta”, frase escrita no portão de entrada de Auschwitz.

Parece que  alguém anda à procura de uma solução que se espera não seja final.

Os homens nascem com direito à felicidade e não apenas à estrita e restrita sobrevivência.

Foi perante o espanto dos portugueses que os velhos ficaram com muito menos do seu contrato com o Estado  que se comprometia devolver o investimento de uma vida de trabalho. Mas, daqui a 20 anos isto resolve-se.

Agora, os velhos atónitos, repartem o dinheiro  entre os medicamentos e a comida.

E ainda tem que dar para ajudar os filhos e netos num exercício de gestão impossível.

A Igreja e tantas instituições de solidariedade fazem diariamente o milagre da multiplicação dos pães.

 Morrem mais velhos em solidão, dão por eles pelo cheiro, os passes sociais impedem-nos de  sair de casa,  suicidam-se mais pessoas, mata-se mais dentro de casa, maridos, mulheres e filhos mancham-se  de sangue , 5% dos sem abrigo têm cursos superiores, consta que há cursos superiores  de geração espontânea, mas 81.000  licenciados estão desempregados.

Milhares de alunos saem das universidades porque não têm como pagar as propinas, enquanto que muitos desistem de estudar para procurar trabalho.

Há 200.000 novos emigrantes, e o filme “Gaiola Dourada”  faz um milhão de espectadores.

Há terras do interior, sem centro de saúde, sem correios e sem finanças, e os festivais de verão estão cheios com bilhetes de centenas de euros.

Há carros topo de gama para sortear e auto-estradas desertas. Na televisão a gente vê gente a fazer sexo explícito e explicitamente a revelar histórias de vida que exaltam a boçalidade.

Há 50.000 trabalhadores rurais que abandonaram os campos, mas  há as grandes vitórias da venda de dívida pública a taxas muito mais altas do que outros países intervencionados.

Há romances de ajustes de contas entre políticos e ex-políticos, mas tudo vai acabar em bem...estar para ambas as partes.

Aumentam as mortes por problemas respiratórios consequência de carências alimentares e higiénicas, há enfermeiros a partir entre lágrimas para Inglaterra e Alemanha para ganharem muito mais do que 3 euros à hora, há o romance do senhor Hollande e o enredo do senhor Obama que tudo tem feito para que o SNS americano seja mesmo para todos os americanos. Também ele tem um sonho…

Há a privatização de empresas portuguesas altamente lucrativas e outras que virão a ser lucrativas. Se são e podem vir a ser, porque é que se vendem?

E há a saída à irlandesa quando eu preferia uma…à francesa.

Há muita gente a opinar, alguns escondidos com o rabo de fora.

E aprendemos neologismos como “inconseguimento” e “irrevogável” que quer dizer exactamente o contrário do que está escrito no dicionário.

Mas há os penalties escalpelizados na TV em câmara lenta, muito lenta e muito discutidos, e muita conversa, muita conversa e nós, distraídos.

E agora, já quase todos sabemos que existiu um pintor chamado Miró, nem que seja por via bancária. Surrealista…

Mas há os meninos que têm que ir à escola nas férias para ter pequeno- almoço e almoço.

E as mães que vão ao banco…. alimentar contra a fome , envergonhadamente , matar a fome dos seus meninos.

É por estes meninos com a esperança de dias melhores prometidos para daqui a 20 anos, pelos velhos sem mais 20 anos de esperança de vida e pelos quarentões com a desconfiança de que não mudarão de vida, que eu não quero morrer sem ver a cor de uma nova liberdade.

 in Júlio Isidro



sexta-feira, 24 de abril de 2015

Parabens Francisco Ramos


O nosso companheiro Francisco Ramos, festeja hoje mais um aniversário. Para ti amigo um grande abraço com votos de boa saúde.
Leandro Guedes.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Carlos Azevedo fez anos.


No passado dia 17 o Carlos Azevedo festejou mais um aniversário e fez questão de ter à sua mesa alguns dos companheiros que com ele estiveram na Guiné.
Já vem sendo hábito.
Para o Carlos o nossos abraço e o agradecimento pela sua simpatia.
Leandro Guedes.

sábado, 18 de abril de 2015

O Luis Dias faz hoje anos.

O Luís, à direita, com o amigo José da Costa

Será desta ue fazes anos Luis?...
Para o Luis o nosso abraço de parabens com votos de boa saúde.
Leandro Guedes.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Almoço do BART 6520, estacionado em Tite e Enxudé


Os companheiros do BART 6520 e outras Unidades que estiveram estacionados em Tite depois de nós, enviaram-nos este convite para publicação, referente ao seu almoço anual.
Bom almoço para vós companheiros.
LG.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

O Alfredo Alves faz anos.


O Alfredo Alves, que trabalhava na sala de operações, faz anos hoje.
Para ele o nosso abraço de parabéns com votos de boa saúde.

O Botas está melhor

Foto dum almoço recente com o Botas

Companheiros
Falei hoje com o Botas. Lá tem andado nos seus tratamentos, umas vezes no hospital do Barreiro, outras no hospital Curry Cabral.
Tem-se sentido melhor e procura não perder o seu caracteristico humor.
Manda um forte abraço para todos quantos se têm interessado pela sua saúde.

Para ti companheiro um grande abraço com votos de rápidas melhoras.
Leandro Guedes.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Oficiais do BART e outras Unidades estacionadas em Tite

Trazemos hoje aqui mais fotos de oficiais do BART e outras Unidades estacionadas em Tite.




sábado, 11 de abril de 2015

Ainda o dia 8 de Abril de 1967.



"Não sei estás neste grupo, nem sei se é o UÍGE...sei que é uma imagem que não se apaga - quando desfilaste para o embarque e bem perto de mim, fiquei agarrada ao chão ...parece que ainda "ouço" o silencio das lágrimas incontidas...os rostos cerrados de centenas de pessoas maioritariamente trajando de escuro o que conferia à imagem, um ar triste, quase de luto....os gemidos e gritos de crianças chamando "PAI"....as mulheres de mãos postas e erguidas, pronunciando o nome dos seus meninos, dos seus filhos...já aí, eram todos heróis...já no barco e acenando para terra, os milhares de lenços ou panos brancos agitavam-se, com amor, com raiva, com revolta...inconformados, MAS com respeito, um enorme respeito por aqueles jovens... quando o barco é desancorado e se ouve aquele "apito" dizendo-nos adeus... começando a afastar-se....foi horrível, mesmo horrível - conseguimos ainda por umas boas dezenas de metros e já no carro "acompanhar o barco que cada vez mais se distanciava... e acredita que cheguei a convencer-me que nos vias e nos acenaste... dois anos depois voltamos e felizmente TU regressaste.... bem hajam pela capacidade que tiveram em aguentar a guerra das gentes, dos políticos, das palavras e infelizmente das próprias armas....e nos últimos anos até a guerra das letras, das palavras, dos livros - tantos escritores e cada com a sua história, a que conheceu melhor ou pior... a de que ouviu falar ... a que lhe dá jeito... naquela ocasião claro - real?? fictícia?? a interessar a quem?? HISTORIA é aquela , vivida , sofrida, sentida, testemunhada por aquelas pessoas todas mas todas....sem precisar de ser aldrabada, enxovalhada, achincalhada, caluniada, porque a HISTORIA não muda... mudam-se os "falantes palradores" que chegam a caluniar e maltratar estes "herois" à força... 
Bjs para ti em especial e a todos deste BART e de tantos outros..."

in facebook de Natercia Leite

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Mortalidade infantil baixou na Guiné-Bissau, mas a mortalidade materna aumentou


A taxa de mortalidade infantil diminuiu acentuadamente na Guiné-Bissau, passando de 200 por mil, em 2007, para os atuais 55 por mil nados-vivos, anunciou hoje em Bissau o ministro da Economia e Finanças, classificando o feito como "extraordinário".


"A taxa da mortalidade infantil está agora na Guiné-Bissau na ordem de 55 por mil. Este é um resultado extraordinário. Penso que devemos continuar a trabalhar para baixar esta taxa, mas há uns anos atrás a Guiné-Bissau registava uma taxa de mortalidade infantil bastante elevada. Estávamos em qualquer coisa como 200 por mil", salientou Geraldo Martins.
O ministro fez o anúncio durante a apresentação dos resultados preliminares do MICS 5 (Inquéritos aos Indicadores Múltiplos) relativos à situação das crianças e mulheres da Guiné-Bissau em 2014, numa iniciativa com o apoio do Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef).
Numa breve análise aos resultados, Geraldo Martins, que tutela o Instituto Nacional de Estatísticas (INE), organismo que conduziu os inquéritos, congratulou-se com a redução da taxa de mortalidade infantil mas manifestou-se preocupado com o aumento da taxa da mortalidade materna.
Aquela taxa situa-se agora em 900 mortes por dez mil mulheres.
A Guiné-Bissau "apresenta uma das taxas de mortalidade materna mais elevadas do mundo. De acordo com os dados disponíveis penso que a Guiné-Bissau tem a segunda pior taxa de mortalidade materna no mundo", sublinhou.
O governante pediu que sejam estudados os motivos pelos quais as mulheres ainda continuam a morrer no momento do parto para que o Governo possa propor soluções.
Geraldo Martins acrescentou que o país já recebeu uma promessa de empréstimo do Banco Islâmico de Desenvolvimento (BID) de 30 milhões de dólares (28 milhões de euros), "para serem utilizados em setores determinados pelo Governo" os quais, disse, poderiam ser canalizados para luta contra a mortalidade materna.
O responsável guineense adiantou que se vai deslocar aos Estados Unidos na próxima semana para se encontrar com os dirigentes do BID e dos Fundos Soberanos do Koweit e da Arabia Saudita, instituições que, afirmou, tinham cortado toda cooperação com a Guiné-Bissau aquando do golpe de estado de abril de 2012, mas que agora estão a retomar, na sequência das eleições de 2014, que repuseram a normalidade constitucional.
MB // EL

Lusa/Fim
in facebook Pica Sinos

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Assinalando o 48º. aniversário da nossa partida para a Guiné


Um trabalho do José Justo

Dia 8 de Abril de 1967 - partimos para a Guiné.


48 anos se passaram, sobre o dia em que esta juventude, cheia de ilusões e sonhos próprios, teve que se render a uma mobilização obrigatória que haveria de ceifar quase dez mil vidas e deixar muitos dos nossos companheiros com sequelas para a vida inteira.


É uma data que trás consigo apenas a camaradagem que entre todos nós se gerou e que faz com que o nosso lema continue a ser 
AMIGOS NA GUERRA, AMIGOS PARA SEMPRE!.
Leandro Guedes.

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Hernani - mecanico de armamento


 Com a ajuda do Hipólito, identificamos o nosso companheiro Hernani, que tem andado bastante ausente dos nossos convivios.
É uma pena!
Quem sabe ele aparece no próximo almoço, ou num dos próximos.
Mora em Moreira da Maia, perto do Viana.

sábado, 4 de abril de 2015

Páscoa Feliz .

um trabalho do José Justo

A TODOS OS NOSSOS COMPANHEIROS, AMIGOS, FAMILIARES E VISITANTES, DESEJAMOS UMA PÁSCOA FELIZ, COM VOTOS DE BOA SAÚDE, BEM ESTAR E ESPERANÇA.

O nosso companheiro CARLOS AZEVEDO fez anos dia 2.

Carlos Azevedo com dois amigos em Tite/Enxudé

O nosso companheiro CARLOS AZEVEDO fez anos dia 2. Para eles o nosso abraço fraterno de parabéns, com votos de saúde e bem-estar junto dos seus.
Leandro Guedes.