.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial

-

Eles,
Fizeram guerra sem saber a quem, morreram nela sem saber por quê..., então, por prémio ao menos se lhes dê, justa memória a projectar no além...

Jaime Umbelino, 2002 – in Monumento aos Mortos na Guerra Colonial, em Torres Vedras


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS.

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Boas Festas - do Luis Manuel Dias

A TODOS,
OS MEUS AMIGOS

Aproxima-se, célere, o dia em que comemoramos o Nascimento do Menino Jesus. Será Natal, com certeza, na casa de muitos...
Mas nem todos terão a dita do conchego, do abrigo, da consoada.
E isso, nestes dias mais em particular, DÓI-ME, numa dor cruenta, dilacerante...
DÓI-ME, pois vejo na minha e na pele dos meus ‘irmãos’, o sufoco, a incerteza, a angústia duma vida sem horizontes, nem amanhãs.
Toda a alegria que poderíamos ter, em tempo de paz e harmonia – manifesto pelos quatro cantos do mundo - se esvai, frente às duras, inequívocas, realidades.
Não ignoro - pela chegada do Natal, e de quanto representa, em particular no imaginário fértil dos mais novos – quanto, para uma vasta parcela de nós, trará a soma de desilusões, o confronto com a áspera e irónica realidade.

Para o povo crente, dado aos afectos do espírito, o Natal vai ser do Menino que nasceu, nas palhinhas duma mangedoura.

Para os demais, servir-se-ão do gentil voto de Boas Festas, sincero, augurando algo mais numa mesa, composta e familiarmente animada...

A TODOS, amigos meus, A TODOS, os votos de que a época festiva vos cumule, após o ano de trabalhos, do que bem achais preciso.

UM SANTO NATAL, em paz e sossego familiar.
E o augúrio de que o Vindouro 2015, mais mau se não configure, do que o presente, já no termo.

Beijos às Meninas - de todas as idades.
Aquele abraço, aos rapazes.

do vosso Amigo 
Luís

Luís Manuel Dias
tm 918346325

Sem comentários: