.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

domingo, 27 de abril de 2014

Quartel da Parede - Relembrando...

Fernando Limão
Ex-militar, não do RAC, mas de Infantaria como 1º Cabo Músico, no Regimento de Infantaria Nº 15 de Tomar, em 1986/87. O meu fascínio pelo RAC, tem origem no meu Pai, que foi Militar do RAC em 1961. A criação deste Blog, é uma forma, não só de representar, mas também, homenagear o meu Pai e todos os Camaradas que tiveram a Honra de servir o Regimento de Artilharia de Costa. Todas as fotos publicadas neste blog, são contribuições de todos os que serviram nesta Grande Família, que foi o RAC.

2ª Bataria da Parede
Esta Bataria, era o 2º reduto da defesa da costa marítima portuguesa, reforçando assim, o poder de fogo da 1ª e 3ª Batarias, respectivamente.
Cobria um área desde Cascais até Oeiras, e era equipada com 3 peças Vickers de 152mm de médio alcance.
   

   Peça em fogo real.


 Aparelho de telemetria.
 Neste aparelho, eram efectuados todos os cálculos,
 transmitidos ás peças, depois de obtidas as   informações necessárias, vindas do Posto de Observação.


 Boca-de-fogo em estado de abandono.


 Panorâmica da Bataria.


Ao lado, sempre alerta.




  Apesar do seu estado de corrosão, ela diz-nos que continua de sentinela.


 Porta de Armas da Bateria.
As histórias que ficam para sempre nestes portões.


   Apesar do seu estado de corrosão, ela diz-nos que vai continuar de sentinela.


 Brasão de Armas que se vai mantendo firme e
"Mostrando a ruda força que se estima".


 Peça em fogo real



Elevador municiador.
Por aqui vinham a munições do paiol subterrâneo.
 Portão de acesso ao paiol subterrâneo.



 Lá vão continuar de sentinela.

Sempre alerta.


 Sem a culatra, por questões de segurança.


 O pórtico junto à pista de obstáculos.



 Radiador de arrefecimento e entrada de ar do
grupo gerador de energia.


Ao lado, a vivenda dos graduados da Bateria.
   
Publicada por Fernando Limão

________________________________________
Meu caro Fernando Limão
Foi com alguma emoção que deparei com este seu blog, simpatia dum camarada de armas, Raul Pica Sinos, que me indicou o endereço.
Fiquei deveras agradado com o que vi e com o seu relevante trabalho.
O nosso Batalhão de Artilharia, BART 1914, teve a sua concentração na Parede antes de seguir para a Guiné, em Abril de 1967.
Relembro aqui nas suas fotos todo aquele ambiente, na altura já bastante impróprio para que ali habitasse gente, como foi o nosso caso.
Mas mesmo assim foram tempos emocionantes para jovens mancebos que partiam para o desconhecido. Nós regressámos sãos e salvos, outros não, infelizmente, mas quase todos passaram por aquela Porta de Armas, do quartel da Parede.
Presentemente temos um blog dedicado ao pessoal do BART 1914, mas de acesso a toda a gente, onde, com a sua permissão iremos em breve publicar estas fotos, pois sabemos que elas vão ser do agrado geral.
O endereço é:
http://bart1914.blogspot.com
Muito obrigado pelo seu carinho para com este tema da Artilharia e pelo trabalho desenvolvido.
Muito obrigado.
Receba um abraço de todos nós, pessoal do BART 1914.
Leandro Guedes.
_______________________ 
7 comentários a este blog:

David Teixeira14 de agosto de 2013 10:48
Parabéns pelo blog.
Muito lamento ver em que condições se encontram as instalações e armas.
A falta de respeito pela história é uma prática infeliz dos nossos dias.
Penso que o exercito deveria de fazer mais alguma coisa neste caso em especial.
Esperemos de o vandalismo acabe.
Cumprimentos.

Filipe28 de novembro de 2013 08:46
Muitos parabéns por este excelente blog.
Tendo sido oficial miliciano no RAC é com tristeza, que vejo o estado em que está o que resta do património do regimento depois de ter sido desactivado.

Filipe Correia
  
helder alves29 de janeiro de 2014 05:54
http://www.cm-cascais.pt/noticia/assinatura-do-acordo-de-principios-para-criacao-do-museu-militar-de-artilharia-de-costa-2a
  
Nuno C22 de abril de 2014 08:46
boa tarde
Estive lá por duas vezes ao longo deste mês de Abril, a porta de ferro que dá acesso aos tuneis e paiois encontra-se completamente aberta, dos grupos geradores só resta o bloco e bomba injectora de um deles, foi ateado fogo em duas das divisões, o projector anti-aereo tem a base em uma das divisões e a parte do espelho está no tunel que dá acesso ao paiol da 3ª boca de fogo. Embora não tenha cumprido serviço militar fico triste ao ver o estado a que chegaram a maioria das Baterias de Costa.
Talvez me possa ajudar a perceber o que foi uma divisão desta Bateria de Costa. È uma divisão que tem talvez uns 30 mts de comprido e que parece um refeitorio ou cineteatro, o chão é de Tijoleira vermelha.
  
Nuno C22 de abril de 2014 08:51
Obrigado pelas excelentes fotos :)
  
Fernando Limão22 de abril de 2014 12:18
Essa divisão, é o Salão Nobre do Forte, era aí que se faziam os almoços e jantares de Gala dos Oficiais e onde foi assinado o Protocolo para o Museu de Artilharia de Costa com a Câmara de Cascais.
  
Nuno C23 de abril de 2014 04:45
Obrigado pelo esclarecimento :)
Esperemos que o Museu seja implementado pois é um crime deixar estas instalações a degradar-se.
Outra das Baterias de Defesa da Costa que gostaria de ver recuperada é a do Outão pela paisagem com que nos brinda :)
È pena que os deputados usem tanta vez os exemplos de outros paises para justificar certas coisas e não rentabilizem estes espaços como fazem os nossos vizinhos Espanhois.

Sem comentários: