.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes, furriel milº Angola ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

"NINGUÉM DESCE VIVO DUMA CRUZ!..."

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Bom Ano Novo, do Raul Soares


Com estas lindas paisagens, aproveito a oportunidade para enviar VOTOS DE UM BOM ANO NOVO, com saúde, paz, amor, paciência, bons negócios  e algum para gastos.
Um abraço
Raul Soares

Bom Ano Novo, do Carlos Ramos


AS MAIORES FELICIDADES PARA ESTE NOVO ANO PRESTES A COMEÇAR

UM GRANDE ABRAÇO


Carlos Costa Ramos

Bom Ano Novo, do Jorge Claro

        
F E L I Z  2 0 1 4!!!!
Saudações de JORGE CLARO

BOM ANO, do Carlos Marinho


A todos os companheiros, votos de Bom Ano com saúde.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Bom Ano Novo, do Zé Justo

Zé Manel e Ferreira
Já estão registados os acontecimentos de que vocês os dois foram protagonistas.
Em anexo aqui vai o resultado.
Claro, que isto é uma pequena amostra das já, 162 montagens idênticas, mas com várias temas que irão ser enviadas para todos os camaradas e amigos, aos soluços diários, para não enjoar!!
Abraços

Justo


______________
O Justo envia a todos os camaradas votos de Bom Ano de 2014, com a descrição dos actos de bravura destes nossos dois companheiros - O Zé Manel e o Francisco Ferreira.
Bela ideia para fechar o ano e preparar o Novo que aí vem.
Obrigado Justo.
Um abraço a todos os companheiros, familiares, amigos e visitantes, com votos de Bom Ano Novo com saúde.

domingo, 29 de dezembro de 2013

Bom Ano Novo, de Albertina Granja

"Olá boa noite...

Ao "passar" há pouco pelo Bart1914, deparei-me com uma nova e bonita imagem que agora encima o blog.
Quero por isso dar os parabéns pela belíssima escolha, mas também aproveitar esta oportunidade para expressar os meus votos de um FELIZ ANO NOVO...!!!
Que seja um ano repleto de coisas boas, com muita paz, alegria, boa disposição e acima de tudo, MUITA SAÚDE....!!!


Albertina Granja"

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Costa, é a tua vez de fazer anos.



Ao nosso amigo Costa, um grande abraço de parabens neste dia do seu aniversário.
Que contes muitos com saúde, companheiro.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Boas Festas, do Jacinto Borges


O Jacinto é um amigo e colega de escola e foi quem há cerca de seis anos me fez o click, para eu avançar com a publicação do nosso blog.
Agradecemos ao Jacinto os votos de Feliz Natal e Bom Ano e retribuimos com um abraço.

Boas Festas, do Joaquim Caldeira, da CCAÇ 2314

Caro Leandro.
Desejo que o teu Natal seja cheio de alegria, paz e amor.
Feliz Ano Novo. 
Boas Festas e um grande abraço.
  
P.S.
Faz hoje 45 anos que, pelas 21 horas, iniciei a visualização do filme "O HOMEM DAS PISTOLAS DE OURO" e que só conclui quarenta anos passados.

Nesse dia, os tiros que se ouviram não foram os que provinham do filme mas sim do grupo que queria tomar Fulacunda.
Joaquim Caldeira

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Boas Festas, do Hipólito


Um bom Natal para ti e toda a família, assim como para os nossos companheiros e respectivas familias, com tudo do que mais desejarem.

Hipólito

Boas Festas, do Alfredo Alves



O Alfredo Alves, escriturário da sala de operações, que deseja a toda rapaziada da CCS Bart 1914 um bom NATAL e próspero ANO NOVO.


Aqui para os lados da serra da estrela muito frio mas é agradável ver a neve. um abraço para ti amigo Guedes

Boas Festas, do nosso capitão


O nosso capitão Paraíso Pinto, envia a todos os companheiros um forte abraço Natalício, com votos de Boas Festas e que o Novo Ano nos traga muitos encontros, com saúde.

domingo, 22 de dezembro de 2013

Boas Festas, do alferes Vaz Alves



" Um abraço e os votos de um Bom Natal e um Ano Novo o melhor possível são os votos do alferes Vaz Alves"

Ex-alferes VAZ ALVES

Boas Festas, do Victor Barros.



PARA
TODOS OS  MEUS AMIGOS E ANTIGOS CAMARADAS DESEJO UM NATAL FELIZ E QUE  O PROXIMO ANO SEJA COM MUITA SAUDE

Victor Barros

sábado, 21 de dezembro de 2013

Boas Festas, do Luis Dias.



A TODOS

os meus diletos familiares e amigos

1. porque é difícil sintetizar o que nos vai na alma,
2. não apenas na quadra que perpassa, mas no estender do ano,
3. A TODOS - por que me merecem o mesmo amor, carinho e dedicação -
4. faço VOTOS de MUITA PAZ, MUITA SAÚDE, MUITO MENINO JESUS a dar o que mais fôr preciso,
5. e a quem se sentir indiferente à quadra, UM BEM HAJA, por me ter aturado!

6. Beijos às minhas lindas meninas -
7. e fortes abraços aos rapazes -
8. de quaisquer idades,
9. pois todos moram no meu coração.

o sempre amigo e, no que puder, disponível.

Luís Manuel Dias

tm 918346325

Boas Festas, do Cavaleiro e Esposa.

Votos de Festas felizes e de um 2014 com muita saúde.
 Manuela e António Cavaleiro

 Obs. Nós não esquecemos os amigos! Estamos em crise, mas há sempre uns trocos para um presentinho!!!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Boas Festas do Centro Social dos Montes Altos




Agradecemos e retribuimos,abraço forte de Diogo sotero e Zé Pedro.

Feliz 2014 para todos os companheiros do BART 1914.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Boas Festas do Andrade e da Mara


Os nossos simpáticos amigos e visitantes, Andrade e Mara, enviam os seus votos de Boas Festas, através deste postal, elaborado pelo Andrade.
Agradecemos e retribuímos com um abraço.

BOAS FESTAS, DO RAUL SOARES


Leandro

Agradeço e retribuo os Votos de Boas Festas e que o novo ano nos traga saúde, paz e amor.

Um abraço
Raul Soares

Boas Festas do Amador


Olá, Pica Sinos!
Podes colocar no blog esta mensagem:

O Amador deseja a todo o pessoal do BART 1914 e famílias Boas festas e feliz Ano Novo.

Abraços
Amador

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Boas Festas, do Fernando Botas

O Botas envia os seus votos de Feliz Natal para todos os companheiros, familiares, amigos e visitantes, através deste seu CONTO DE NATAL, que esteve exposto no átrio da Universidade Sénior, que frequenta no Barreiro.
Um abraço ao Botas.


NATAL

" Dia 24 de Dezembro, três deliciosos rapazes e uma irrequieta rapariga - Tiago, Francisco, Vicente e Maria João, aguardam o momento de colocar as meias penduradas no parapeito da lareira.
Tiago, expedito, é o primeiro a colocar a sua meia de exuberante de cor vermelha.
Francisco, mais comedido, secunda-o, colocando a sua meia de côr amarela.
Vicente, mais lento, não sendo o último, coloca a sua colorida meia, com bonecos.
Maria João, maria rapaz e desinibida, coloca uma das suas meias mais compridas e às cores.
Tiago.
Diz o Tiago à Maria João: tu és muito afoita, assim consegues mais prendas do que nós.
Comenta o Vicente - não é justo!
E a seguir o Francisco - eles têm razão, assim não vale.
Responde a Maria João - eu não pretendo muitas prendas, só desejo como prenda, uns Pais...

Fernando Botas.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

O Sousa faz hoje anos



O ex-furriel Sousa, que era do CA, faz hoje anos.
Um grande abraço de parabens.

Boas Festas, do Francisco Vieira.

Mais uma vez os alunos do agrupamento de escolas D.Luís Ataíde em Peniche, levou a cabo a montagem da árvore de natal feita com plásticos, madeiras e outro material. Um belo efeito dado pela imagem que se junta.
E com esta bela árvore, envio a todos os amigos votos de Feliz Natal.

Francisco Vieira.

Boas Festas do Carlos Justo

DESEJOS DE UM FELIZ  NATAL A TODOS E UM BOM ANO


CARLOS JUSTO E FAMILIA

domingo, 15 de dezembro de 2013

Que comunidade a destes 4 homens?


De facto a pergunta em título é muito pertinente
…Que comunidade a destes 4 homens?

De tempos-a-tempos, ex-camaradas d’armas que prestaram serviço militar na Guiné, mais propriamente em Tite, organizam-se em pequenos encontros, à volta de uma mesa num restaurante, convenientemente equipado, ao desejo do que se quer trincar. Desta vez aproveitou-se a reclamação de um fanático por cabeças de garoupa cozidas. E procurou-se insistir na da presença de alguém, comum a todos, em especial aos que abraçaram a especialidade de Operador de Cripto. (foto acima)
  

Da mensagem para o Justo:
…Na próxima 5ª feira dia 12/12/13, um grupo da malta vai almoçar ao Pragal...cabeça de garoupa cozida. São eles, os criptos: Pica, Contino, Miguel e,  ainda o Zé Manuel, o Palma, o Carlos Azevedo, o Contige e o Amador.
Queres aparecer ou ainda estás em penitência na tua cela?...

Da resposta:
Amigos e Camaradas
Para todos vós, família e amigos, os meus muito sinceros votos de um Natal e Novo ano que se aproxima, o melhor que seja possível, e principalmente com muita...muita saúdinha e da melhor. Erguerei a minha taça á vossa neste Natal, mas no ano novo não vou conseguir ergue-la, porque vocês são muitos, e as saúdes foram tantas!!... Abrações
E tudo e tudo de bom.
Justo.


Do telefonema com o Miguel,
Da resposta:
Bolas Pica Sinos, finalmente lá vou comer o há muito prometido!
Sabes se o Justo vem?
Também gostava de ver o Contino, nunca falei com ele!
Fui eu (como sabes) que o fui substituir quando foi aprisionado, gostava de falar com ele!
  
Do telefonema com o Contino.
Da resposta:
Já vens atrasado…
Quando é? Quinta-feira? Tá bom!
O Justo vai?
……………………………………………

No dia da operação “Cabeça de garoupa cozida com todos”, enquanto o pessoal se servia, despontam as habituais conversas:
Como está este e aquele?
Tens falado com o fulano?
Como está a tua mulher? Os filhos e…os netos?
É pena que o Justo não esteja presente, diz um de nós, com o silencio concordante dos demais.

Nestas ocasiões de convívio a amizade e respeito mútuo sobressaem. Sendo comum, na maior parte do tempo as conversas, recordar-se os tempos passados.


No preciso momento em que estávamos a comentar a tristeza do Miguel, quando em Tite, perdeu o fio de oiro, por hábito pendurado no pescoço, com um pequeno “sexi-simbol” dos homens e, da sua recuperação, ao cabo de 10 anos, entregue por quem o encontrou, toca o meu telefone:

“Estoi” digo eu.
Pica…é o Justo!!

Quando anuncio aos demais, quem estava ao telefone, tudo se calou.
Razões para o silêncio são muitas. Este camarada não se deixa ver por nós há 44 anos.
Tem sido a opção do Justo, contactar regularmente os ex-camaradas d’armas, por via informática.

As saudades deste camarada são muitas, razão para lagrimas nos olhos a querem saltar, quando, todos os presentes neste almoço falaram com este amigo, em especial os que trabalharam, lado-a-lado, com ele.

As vicissitudes passadas por estes 4 camaradas, (entre outros), por via do infortúnio do Contino, creio ter sido o “pingo d’agua” que fez “transbordar” a vontade, há muito escondida, do Justo. Presumindo os presentes que numa próxima operação a executar, o temos como companhia.

Quando conversa puxa conversa, descobre-se que 2 personagens presentes não se avistavam há 47 anos!
O Miguel começa por dizer que não conhecia o Contino e, que muito o honra estar na sua presença.
Adiantando:
…Nunca te vi camarada. Fui eu que te substituí na Companhia, por via do teu aprisionamento em Bissássema pelo PAIGC….
Quem me recebeu no Centro de Cripto em Tite, foi o Pica Sinos que, há época, era meu colega na Robbialac.
E continua:
…Uma das minhas vontades era ter o prazer de te conhecer, trocar conversa contigo, sobretudo saber algo da tua passagem pelas prisões de Conacry.


Responde o Contino:
Pois olha…Tenho estado aqui a pensar de onde conheço a tua cara, com esse corte de cabelo.
Tu não és filho da Morais Soares e da Barão de Sabrosa? (ruas a oriente de Lisboa)
Tu não jogavas bilhar nos cafés….?
Tu não namoraste com a…e, com a…?
A confirmação não se fez demorada, como foram interessantes as 3 horas que demorou o nosso almoço no Praga em Almada.

Raul Pica Sinos
15 de Dezembro de 2013

Fotos:
Cabeçalho: Os 4 criptos que se cruzaram em Tite.
2ª Foto: O Justo a pensar quando era o dia da partida.
3ª Foto: O Miguel a tentar domar o periquito como fazia às namoradas em Lisboa.
4ª Foto: O nosso intelectual Contino a que o Capitão PP chamava de Doutor.
5ª Foto: O Justo e o Contino na frente do CC primorosamente fardados.
6ª Foto: O Pica Sinos e o Miguel (Tété) num café em Bissau.  

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

BOAS FESTAS, de malta amiga, nossos companheiros

Boa noite amigos
Em anexo um vídeo de gente conhecida e menos conhecida ou só conhecida de alguns.
Rapaziada com pontos em comum, mas o principal é que todos estivemos naquela estancia
de terra vermelha na Guiné.

Para quem esteja menos "atento" vão agora verificar duas personagens que não tem sido muito reclamadas
nas nossas fotos das almoçaradas e que agora se apresentam em vídeo são: o Contino e o Miguel, ambos com a especialidade de Op. de Cripto.
O Contino foi um dos camaradas aprisionado em Bissássema.
O Miguel foi o amigo que veio substituir o Contino, mas depois de poucos meses em Tite segue para Jabadá e Fulacunda.
Novidade, Novidade, dizer que neste almoço, o Pai Natal não trouce apenas como prenda as cabeças de garoupa que, estavam um delicia.
Essas já nós contávamos que fossem muito boas e que só sobrasse as espinhas.
Na verdade trouce outras prendas, bem pesadas de alegria que, a todos os presentes neste almoço originaram lágrimas de grande satisfação.
Dizer que a história certamente ilustrada  brevemente a contarei.
Por agora para todos vós desejamos um bom Natal e um prospero Ano Novo.
Aquele abraço camaradas.
Raul Pica Sinos

O Pica Sinos faz hoje anos.





Para o nosso companheiro Pica Sinos, um grande abraço de parabéns, que conte muitos com saúde na companhia da sua família.
E nada melhor para comemorar o dia, do que transcrever um artigo seu:

"HISTÓRIAS DO MEU VELHO BAIRRO DAS FURNAS

A PAIXÃO PELO ARCO E GANCHETA

Era, quando nos recados à padaria da praça do velho bairro, sobretudo nas manhãs, bem cedo, antes de me dirigir à escola, uma das ocasiões mais desejável, para me “transportar” de arco e gancheta.


Andar de arco de gancheta naquelas ruas, não era de todo fácil. O asfalto existente era pobre, irregular, as covas eram mais que muitas.
A minha rua dos Plátanos e, o arruamento de ligação às outras ruas paralelas e, de acesso à saída do bairro, tinham uma ligeira inclinação. Mais acentuada ao confinar com largo onde o mercado se encontrava.
Dizer que este handicap/inclinado originava a velocidade do “transporte” a “dois” tempos. Primeiro em passo de corrida, mas chegado à rampa, aqui o passo era de caracol. Contudo, mais difícil era na descida, tendo em conta a velocidade e os pinotes do arco que, a gancheta e o condutor, mal conseguiam segurar.

O meu arco era aproveitado de um velho aro de bicicleta, originando nas correrias, por mais largo e pesado, dificuldades no manejar. Os arcos dos outros miúdos eram mais leves e finos, eram feitos de ferro, alguns até de aço, mais fáceis de os fazer rodar e manejar. Não tinha serralheiros metalúrgicos na família para me brindarem com um destes bólides, desvantagem jamais desmotivadora das entusiásticas corridinhas, ruas abaixo, na direcção aos “tanques”.


“Tanques” era o nome dado ao lavadouro comunitário, situado a sul dos arruamentos, paredes meias com a linha do caminho-de-ferro.
A rapaziada, aqui chegada, após aturadas correrias, matava a sede com a água sempre fresca que, brotava das torneiras livres de serventia. Seguia-se o molhar das mãos e da cara para que suor e, o avermelhado depressa deixasse de incomodar.

Preventivamente, entre as oliveiras existentes, eramos observados pelas vizinhas na lavagem a roupa. Uma ou outra, de voz bem elevada e ameaçadora, possuindo, nas mãos, algo bem encharcado, “convidavam-nos” a desandarmos “dali-pra-fora”, numa atitude de salvaguardar as roupas lavadas, nos arames estendidas e, a corar no chão sobre as ervas e chorões, para que, não viessem a ser emporcalhadas, no toca e foge, resultante de uma discussão da cachopada, mais acesa, na ultimação das sempre difíceis classificações, para os lugares cimeiros das corridas “ciclo-pedestal” acabadas de realizar.

Hoje, dificilmente se vê um miúdo a andar de arco e gancheta. Talvez num qualquer velho bairro ainda existente, numa das colinas desta Lisboa.

Dezembro de 2013
Raul Pica Sinos

Notas:
1ª Foto do Blog Recordar, Aprender e Descobrir
2ª Foto da C.M.L."

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O Guedes faz anos hoje

A pedido do Pica, aqui fica a noticia...




domingo, 8 de dezembro de 2013

Bissássema - um excerto do livro do ex-alf. António Júlio Rosa

O aprisionamento dos companheiros Alf. Rosa, Contino e Capítulo:

 "Dentro do posto encontrava-me eu, o Maciel, o Cardoso, o Gomes e os três operadores das transmissões.  De repente, apareceu, transtornado, o comandante da milícia de Tite. Só teve tempo de nos dizer que os turras estavam dentro do perímetro e se dirigiam para o local onde nos encontrávamos.  Mal acabou de falar fomos atacados. Não deu sequer tempo para se tentar encontrar uma solução... 
Rapidamente procuramos sair para 0 exterior. 0 Maciel, o Cardoso (que viria a falecer neste combate), 0 Djaló e o Gomes conseguiram sair. Quando cheguei à porta, seguido pelo Geraldino e pelo Capitulo, rebentou uma  granada ofensiva mesmo na nosso frente. Eu levava a arma na mão mas de nada me serviu. Com o sopro da explosão fui empurrado para trás e não via nada pois tinha os olhos cheios de terra. Com o estrondo, fiquei surdo,. Foi uma sensação horrível ... Pensei que ia morrer!...Foi impressão instantânea que passou em segundos. Entretanto, tive outra sensação!... Tive o pressentimento que ia ser abatido.. Sinceramente, fiquei preparado para morrer... Foi o que senti e afirmo que, naquele momento, se tivesse acontecido, não me teria custado nada. Reconheci que estava impotente e nada podia fazer para contrariar aquela acção, Afinal, não tinha chegado ainda a minha hora e, agora, espero bem que não esteja para chegar em breve. 
Naquele dia foi mesmo Deus que não permitiu o fim do meu viver; e a protecção divina ir-se-ia manter no futuro, pois foram muitas as vezes em que a minha vida esteve presa só por um fio muito ténue.  Senti-me agarrado, ao mesmo tempo que alguém me socava, violentamente, mas não sentia qualquer dor. Recordo-me que o meu quico saltou da cabeça e nunca mais o vi. 
Estava prisioneiro.. 0 Dino e o Capitulo tiveram a mesma sorte!... 0 Ramalho, um dos telefonistas, recuou escondendo-se debaixo duma cama, assistindo a toda aquela cena. Foi mais bafejado pela sorte!... Nunca mais o vi nem falei com ele. 
Depois de nos terem levado para longe dali, fugiu para Tite."
António Júlio Rosa (do seu livro MEMORIAS DUM PRISIONEIRO DE GUERRA)

sábado, 7 de dezembro de 2013

Parabens ao Zé Manel (Alcantara)



Ao contrário da mostra do menu que, foi muito discutido por as farinheiras terem sido insuficientes, veja-se por via dessa insatisfação a cara deles na fotografia. Ao contrario, no Pragal, os pratos estão limpos mas os sorrisos é bem a mostra da grande satisfação que reinou neste dia. Não mostramos o menu de proposito, mas podemos dar uma diga....do restaurante ao mar, são meia duzia de quilômetros....
Pica Sinos

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Boas Festas, do José Justo



Amigos e Camaradas
Para todos vós, família e amigos, os meus muito sinceros votos de um Natal e Novo ano que se aproxima, o melhor que seja possível, e principalmente com muita...muita, saudinha e da melhor.
Erguerei a minha taça á vossa na ceia de Natal, mas no ano novo já não vou conseguir ergue-la, porque vocês são muitos, e as saúdes foram tantas!!...
Abrações e tudo de bom.

Justo
_________________ 
O Justo é também o autor do cabeçalho actual de Natal, deste blog.

Curiosidade - quem foi o autor do Mural que estava na porta d'Armas do quartel em Tite.


Mural concebido e desenhado pelo Fur Mil SAM José Soares, da CCS/Bat Caç 1860
Junho a Dezembro,1965
Muro de Protecção, junto da Porta d'Armas em Tite,  para protecção dos Militares no içar ou arrear bandeira.


© Fotos ex 2º Sargtº Mil Santos Oliveira

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Boas Festas - de Albertina Granja


A nossa amiga e visitante, Albertina Granja deixou um novo comentário na sua mensagem "Boas Festas - do Jorge Claro.":

"Na sua simplicidade, este poema fala-nos do que de melhor e mais belo existe no Natal.....!!!
(As crianças..., o que elas sonham..., o que anseiam... e toda a magia por elas sentida nos mais ínfimos pormenores e em cada momento vivido nesta quadra festiva)...!!!


Aproveito a oportunidade para desejar a todos um Santo e Feliz Natal, com MUITA, MUITA, MAS MESMO MUITA SAÚDE..."

Boas Festas - da AUTITV


Boas Festas - do Jorge Claro.

Natal das Crianças
Poema: Euclides Cavaco

Nos olhos duma criança
Brilha uma luz de esperança
Pura expressiva e real
Que na sua inocência
Dão sentido e transparência
Ao verdadeiro Natal.

Pràs crianças o Natal
É a grande festa afinal
Que é por elas mais vivida
Onde os adultos lhe dão
A verdadeira atenção
Quantas vezes esquecida.

É para elas magia
Universo de alegria
Duma emoção jovial
Com candura e inocentes
Acreditam que os presentes
São obra do Pai Natal.

Na sua simplicidade
Mostram aos de mais idade
Como o Natal mesmo é
À noite com seu carinho
Colocam o sapatinho
Com ternura à chaminé.

Acreditam mesmo e só
Que o Pai Natal de trenó
Traz para todos lembranças
Que bom seria parar
No tempo e acreditar
No Natal como as crianças!...


Enviado por Jorge Claro

Boas Festas do Santos Oliveira


O Zé Manel Alcantara faz hoje anos


Ao Zé Manel um grande abraço de parabens neste dia do seu aniversário.
Que contes muitos com saude junto dos teus, companheiro!.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

QUEM VAI À GUERRA... NÃO VEM IGUAL...!


Com a devida vénia ao Badaladas e sua Jornalista, publicamos este artigo, que foca um assunto que se tem arrastado através dos anos e assim continuará...
NESTE ARTIGO ESTÃO INDICADAS INSTITUIÇÕES E NÚMEROS DE TELEFONE, QUE PODEM SER MUITO ÚTEIS, PARA QUEM TEM PROBLEMAS DESTES POR RESOLVER.

domingo, 1 de dezembro de 2013

Bissássema - o testemunho do Alf. Trabulo, da CCAÇ 2314

Com a gentileza do Joaquim Caldeira, da CCAÇ 2314, transcrevemos este artigo do Alferes Trabulo, hoje Coronel, que relata também o que se passou no desastre de Bissassema, em Fevereiro de 1968.



Conjunto João Paulo e o Alferes Rosa

Hoje vou recordar um dos mais terríveis e tristes dias que vivemos em Tite.

O conjunto João Paulo estava em Tite quando chegámos da Operação " Velha Guarda" em 31Jan/01Fev68 que efectuamos na região de Bissássema e Banaussa e deixámos em Bissássema o Alferes Rosa, da CART 1743, com e seu pelotão de europeus e mais 3 pelotões de milícias, estes armados de mauser; para guarnecer e controlar a região de Bissássema pois esta situava-se em frente de Bissau do outro lado do rio Geba. Pensou-se que ocupar Bissássema não parecia ser muito difícil. Tratava-se de uma tabanca de onde as forças do PAIGC tinham desaparecido sem deixar rasto. Foi nesta operação que tivemos os primeiros militares feridos: o Augusto José Rebouta e o Manuel Branco, na região de Brandãozinho. O conjunto João Paulo era, na altura, um conjunto de renome nacional e foi a Tite para dar um espectáculo para "levantar a morar das tropas" o que pelos vistos não se verificou. Viram, foi os horrores e amargura de uma guerra e nunca lhes passou pela cabeça o que iriam viver e presenciar na sua vida de cantores e de militares. Encontram-se na foto tirada com os outros oficiais junto ao monumento da parda do quartel de Tite.

Diz a História da Companhia:

" Depois do ataque IN, em 030000FEV68, a BISSÁSSEMA, as posições das NT que se encontravam naquela tabanca ficaram desguarnecidas.

Encontrando-se esta C. Caç. 2314 em TITE, recebeu ordem para se deslocar para BISSÁSSEMA a fim de socorrer as NT que se encontravam nessa tabanca. Á chegada a BISSÁSSEMA, verificou-se que o IN já havia retirado, apenas se encontravam na tabanca um pequeno número de elementos da população. Foi dada ordem a esta Companhia para guarnecer BISSÁSSEMA a fim de proteger a população."

Tinham apenas passado 19 dias da nossa permanência na Guiné. Em consequência da forte flagelação, o IN na madrugada de 3 de Fevereiro de 1968 ocupou Bissássema, tendo feito prisioneiros o Alf. Rosa e mais dois militares e os restantes puseram-se em debandada para salvar a vida. Na retirada desapareceram um furriel e sargento da milícia de Tite que mais tarde foi encontrado morto no rio Geba. No percurso para Bissássema deparámos com a terrível visão do que tinha acontecido aos nossos camaradas.

Ainda hoje temos nos nossos olhos o doloroso estado em que se encontravam na fuga para Tite, bem como as lágrimas que lhes vimos na face, os olhos cobertos de lama e a maioria descalços e rotos ou mesmo nus, parecendo figuras de filmes de terror, apenas com forças para agarrarem desesperadamente a G3, a sua própria e única salvação para manter a vida, quando em redor somente havia a morte...

Pela meia-noite começou um ataque do PAIGC, meia hora depois o tiroteio parecia ter acabado. Foi esperança de pouca dura, pois logo a seguir começou um novo ataque, a força do PAIGC entrou dentro do quartel lançando granadas e semeando o pânico. Abalado com a explosão de uma granada, António Rosa e dois soldados, Capitulo e Contino,  todos da CART 1743, foram apanhados à mão. Na noite de 21 de Novembro de 1970, no decurso da operação "Mar Verde" portugueses na Guiné-Conacri irão ser libertados e transportados em navios de guerra até aos Bijagós e daqui para Bissau e depois Lisboa. Segue-se o regresso a Abrunhosa-a-Velha do António Júlio Rosa.

Joaquim Caldeira

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O cozido à Portuguesa, na Serreira.

Este foi mais um encontro de amigos e antigos camaradas á volta de uma mesa para degustar um bom Cozido á Portuguesa, lá para os lados da Povoa da Galega em Serreira no Café Restaurante Central.
Não fosse com a ajuda das novas tecnologias e, ainda agora eu andaria á procura do dito restaurante. Mesmo assim houve quem se perdesse. Mas como fomos treinados em tempos idos para no mato a esperar pelo melhor momento para atacar, assim fizemos e todos atacaram o Cozido ao mesmo tempo.
Bom paladar, boas carnes, entradas e sobremesas a condizer. O vinho, bem podia ser melhor atendendo á região. Mas valeu o “Nosso Capitão” que nos brindou com uma aguardente de medronho muito boa. Se esta entrar na produção industrial, os “royalties” são pra malta do Bart1914! (Estou a brincar).
Bom, no final ficou mais ou menos combinado, uma “peixeirada” em Peniche lá para depois de Janeiro p.f.
Um bom Natal para todos os ex-combatentes do BART1914.
Costa
28Nov2013  


aspecto do restaurante/café

ao telefone com o Botas, que faz anos neste dia.

o grupo com outro fotógrafo

Palma e Contige


o pitéu

Henriques, Zé Manel e Capitão

Guedes, Henriques e Zé Manel



Pires e Guedes


Capitão e Palma

Contige, um bocado marafado

Serafim e Marinho


Ramos, Pires e Guedes

Esposa do Raul, Costa e Esposa do Ramos


Marinho, Raul e Esposa

Esposa do Ramos, Ramos e Pires


Estiveram presentes (por ordem na mesa):
  • Cap. Paraiso Pinto
  • Zé Manel
  • Palma
  • Henriques
  • Contige
  • Guedes
  • Serafim
  • Marinho
  • Pires 
  • Raul e Esposa
  • Ramos e Esposa
  • Costa

Foi um belo convivio, que a todos agradou.
Um abraço companheiros.