.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS.

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Do Santos Oliveira.

 
Feliz Natal também para ti companheiro.
Um abraço.
____________________

O Cavalinho
Certa tarde o pai saiu para um passeio com as duas filhas, uma de oito e a outra de quatro anos.
Num determinado momento da caminhada, Helena, a filha mais nova, pediu ao pai que lhe pegasse ao colo, pois estava muito cansada para continuar a andar.
O pai respondeu que estava também muito fatigado, e diante da resposta, a garotinha começou a choramingar e a fazer o "corpo mole".
Sem dizer uma só palavra, o pai cortou um pequeno galho de árvore e entregou-o à Helena dizendo :
- Olha aqui um cavalinho para montares, filha !
Ele irá ajudar-te a seguir em frente.
A menina parou de chorar e pôs-se a cavalgar o galho verde tão rápido, que chegou a casa antes dos outros.
Ficou tão encantada com seu cavalo de pau, que foi difícil fazê-la parar de galopar.
A irmã mais velha ficou intrigada com o que viu e perguntou ao pai como poderia entender a atitude da Helena.
O pai sorriu e respondeu dizendo :
- A vida é assim, minha filha.
As vezes as pessoas estão física e mentalmente cansadas, certos de que é impossível continuar.
Mas encontramos então um "cavalinho" qualquer que nos dá ânimo outra vez.
Esse cavalinho pode ser um bom livro, um amigo, uma canção... assim, quando te sentires cansada ou desanimada, lembra-te de que haverá sempre um cavalinho para cada momento, e nunca te deixes levar pela preguiça ou pelo desânimo.
E Sorria !!!...

A mais completa perda de tempo de todos os dias é aquela na qual tu não sorriste nem uma vez !
Autor Desconhecido.

Feliz Natal
Santos Oliveira

1 comentário:

José Justo disse...

Gostei bastante.
O sorriso é a melhor arma para obter a Paz nos corações.
Um abraço ao Santos Oliveira
Natal em pleno.