.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

terça-feira, 22 de maio de 2012

As enfermeiras paraquedistas.


Estas Senhoras foram enfermeiras-paraquedistas no nosso tempo
foto "coisas do mr."

foto "tertulia do Garcia"

Num passado, já muito distante, foi necessário ao esforço de guerra, recrutar enfermeiras que tivessem a coragem de saltar nos teatros da luta terrivel que dizimou milhares de jovens portugueses em Angola, Guiné e Moçambique.
Que se lembra delas, como eu, sente uma raiva terrivel por as terem esquecido, quem sabe até ostracisado, sem que nunca lhes tenham dado o valor que mereceram.
Quem de nós assistiu a actos de heroicidade por elas praticados, aliados a uma vontade sem limites de ser úteis aos feridos em combate, não pode deixar de lamentar que não lhe tenham sido reconhecidos méritos para um simples monumento, reconhecimento mais que justo.
Hoje nem se fala delas.

Como homenagem, peço que façam uma leitura do link abaixo.

http://www.tvenfermagem.com/tv/index.php?option=com_content&view=article&id=335%3Aenfermeiras-paraquedistas&catid=6%3Areportagens&Itemid=7

Com amizade,
Joaquim Caldeira

Ver também o blog de SOL DA ESTEVA:
http://acordarsonhando.blogspot.pt/2011_01_01_archive.html
.
QUANDO OS ANJOS DESCIAM DOS CÉUS!

Pára-quedas eram asas
Apostas nas Vossas costas.
Viam-se ânsias, não apostas,
Com a presença das Fadas.

E a Vida renascia
Só ao saber-se que vinham,
Mesmo quando se esvaía
O pouco sangue que tinham.

Foram Fé, muita Esperança;
Foram Amor quanto baste;
Foram, também, Confiança.

Foram Bandeiras em haste,
Que nos fica por lembrança
Que, de nós, jamais se afaste.

SOL (da esteva)

1 comentário:

SOL da Esteva disse...

Meus Caros Camaradas

Uma bela e merecida Homenagem.
O vídeo (para quem o não conhece) é esclarecedor.
Efectivamente, nada materialmente perpétuo, foi feito para tornar visível essa condição de Mulheres e Militares que, apenas o conhecimento da sua chegada, fazia retornar vidas que se esvaiam lentamente.
Como o foi com os demais Militares que Combateram, no terreno de Guerra, a Pátria não lembra nem quer lembrar.
Ver a minha Homenagem a estas Mulheres, em http://acordarsonhando.blogspot.pt/2011_01_01_archive.html.

Abraços

SOL da Esteva