.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial

-

Eles,
Fizeram guerra sem saber a quem, morreram nela sem saber por quê..., então, por prémio ao menos se lhes dê, justa memória a projectar no além...

Jaime Umbelino, 2002 – in Monumento aos Mortos na Guerra Colonial, em Torres Vedras


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS.

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

sábado, 14 de janeiro de 2012

Oh Losa, aledonda a saia...


Help me!
Estou “enrascado”!
Há um pequeno “qui pro quo” com o CD que gravei e prometi.
Raio de azar. Já não se pode ser bom a nada.
A editora é associada da EDP.
Os chineses, espertos com’ó alho e ratos para o negócio, arrebanharam a edição completa.
Pudera! . . . Uma obra prima destas . . .
Nem um pr’ámostra, ficou.
Um sucesso tremendo, na China e, em particular, em Macau, onde, a cada esquina, só se ouve:
Xlinga-xlinga, . . . xlinga-lo-pó, . . . xlinga-xlinga

Oh Losa, aledonda a saia . . .
Xlinga-lo-pó, xlinga-lo-pó . . . 

Sou, mesmo, “samêlo”, ter passado ao lado de uma promissora carreira artística!
Calma!, há que esperar pela 2ª edição, aliás, com vantagens. Há males que veem por bem.
Terá, o dito, incorporada migração para TDT e audição garantida em HD.
Vai-me ficar mais caro, mas, paciência, serei, como os políticos, intransigente em honrar os compromissos. 

Atenção que os beijinhos eram só para agradecer o vosso cuidado pelo desaparecimento do kiper que, como sabem, é o rafeiro que me saiu na rifa.
Gerou, o apelo que vos fiz,  uma onda de solidariedade, de que não há memória.
O pequenote reguila, afinal, estava a “treinar”, ainda é muito jovem, na (cadela) da vizinha.
Não atira ao dono, sereno e caseirinho.

Uma das manifestações de apoio que mais me sensibilizou foi, dentre muitas, a do Justo que rezava, mais ou menos, assim:
“É dos que sempre mais gostei. Tem cá umas orelhas (o bichano) que até tocam castanholas!” . . .

PS:
Ah! . . . No piano, já arranho pouco.
Mas, órgão?! . . . bué! . . .,  in illo tempore, até com as duas mãos, uma para os graves, outra para os agudos ! . . .

Se gostei do comentário do Cavaleiro?
Buésissimo!!! . . . 

Não esquecer: quando virem o lançamento, da 2ª edição do CD, na TV, p.f. lembrem-me.

Hipólito
______________
Vê lá se envias o CD, pois já estamos ansiosos...ou é preciso mandar aí o Mestre para te ensinar como se grava???
LG.

1 comentário:

Hipolito disse...

“Calalho (nome fictício)! . . .
Este “molcon”, nunca mais aplende a lel . . .
Espelem pela 2ª edição, se fazem favol . . ., já disse.