.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial

-

Eles,
Fizeram guerra sem saber a quem, morreram nela sem saber por quê..., então, por prémio ao menos se lhes dê, justa memória a projectar no além...

Jaime Umbelino, 2002 – in Monumento aos Mortos na Guerra Colonial, em Torres Vedras


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS.

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

terça-feira, 30 de agosto de 2011

O Costa trouxe-nos a memória de Otis Redding e de muitos outros/as


Este artigo do Costa trouxe-me à memória as musicas que por lá se ouviam, principalmente na cantina. Algumas delas às escondidas como era o caso da Pedra Filosofal (nunca entendi bem porque tinha que ser às escondidas, mas enfim...)
A Cantina do refeitório estava entregue salvo erro ao Noné. Seria?
Mas uma das canções que eu mais gostava era "The Dock of the bay", por Ottis Reding.
42 anos passados, aqui vai.

E os Procol harun, na canção preferida do Costa.

E já agora um presente extra - Nat King Cole/ "Fly me to the moon":

Obrigado Costa, por tão belas recordações musicais.

1 comentário:

Albertina Granja disse...

De facto são belas recordações musicais....
Há quantos anos eu não ouvia "Dock of the bay", por Otis Redding ???? Não sei..., mas já se passaram muitos, mas muitos anos.....
É bom recordar....
Parabéns pelas escolhas.
Espero que continuem a remexer no baú das recordações onde, concerteza, outros belíssimos êxitos irão ser resgatados... e já agora...., que sejam aqui publicados.