--
Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes )

sub tit

sub tit

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

Um homem só tem o direito de olhar o outro de cima para baixo, quando o está a ajudar a levantar-se! (G.G.Marquez)

quarta-feira, 13 de Abril de 2011

A Lenda (e receita) da Sopa de Pedra - pelo Joaquim Caldeira.


Sopa de pedra ou sopa da pedra é uma sopa típica da culinária Portuguesa, em particular da cidade de Almeirim, situada no coração da região do Ribatejo, considerada a "capital da sopa da pedra".

Ao contrário do que o nome indica, a sopa de pedra é uma sopa com muitos ingredientes, em que a “pedra” é apenas o “pretexto”.
Aparentemente, esta designação encontra-se em muitas culturas ocidentais e tem como base a seguinte lenda.
A lenda da sopa da pedra
Um frade andava no peditório.
Chegou à porta da casa de um lavrador e não lhe quiseram aí dar esmola.
 O frade estava a cair com fome, e disse:
- Vou ver se faço um caldinho de pedra …
Pegou numa pedra do chão, sacudiu-lhe a terra e pôs-se a olhar para ela, a ver se era boa para fazer um belo caldo.
A gente da casa pôs-se a rir do frade e das suas intenções.
Perguntou o frade :
- Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que é uma coisa boa.
Responderam-lhe :
- Sempre queremos ver isso!
Foi o que o frade quis ouvir. Depois de ter lavado a pedra, pediu :
- Se me emprestassem aí um pucarinho…
Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro e disse:
- Agora, se me deixassem estar a panelinha aí ao pé das brasas…
Deixaram. Assim que a panela começou a chiar, tornou ele :
- Com um bocadinho de banha, é que o caldo ficava um primor!
Foram-lhe buscar um pedaço de banha. Ferveu, ferveu...
E a gente da casa pasmada pelo que via.
Dizia o frade, provando o caldo :
- Está um bocadinho insosso. Bem precisava de uma pedrinha de sal.
Também lhe deram o sal. Temperou, provou e afirmou :
- Agora é que, com uns coentros, o caldo ficava que até os anjos o comeriam!
A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe dois punhados de coentros.
O frade lavou-os e deitou-os na panela.
E assim foi dissimualdamente pedindo mais alguns ingredientes o que foi engrossando a sopa “de pedra”.  Juntou-se, mais a carne com feijão que era uma sobra do almoço da familia do agricultor.
Quando a fervura ía adiantada o Frade disse:
Ai, um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça…
Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. Ele colocou-o na panela e, enquanto a sopa fervia, tirou do alforje pão e arranjou-se para comer com vagar.
Toda a sua artimanha, evidentemente, resultou numa excelente sopa, e cheirava que era uma regalo. O Frade comeu e lambeu o beiço. Depois de despejada a panela, ficou a pedra no fundo.
A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou:
- Ó senhor frade, então a pedra?
Respondeu o frade :
- A pedra lavo-a e levo-a comigo para outra vez.
E assim comeu onde não lhe queriam dar nada.
Receita da Sopa da Pedra
Para 8 a 10 pessoas:
Carnes:
·         1 orelha de porco
·         1 chouriço de sangue ribatejano
·         1 chouriço de carne ribatejano
·         2 Farinheiras ribatejanas
·         2 Kg Chispe

A carne tem que ser chamuscada para queimar pelos, lava-se bem lavada e coloca-se numa panela com água e sal, deixa-se ferver um bom bocado (30 minutos), de seguida retira-se inteira da água.
Mais ingredientes:
·         Coentros e Salsa
·         6 Cebolas
·         2 KG de batatas
·         4 Dentes de alho 
·         5 Folhas de louro 
·         1 Molho de coentros 
·         Sal, pimenta, colorau, fio de azeite e piri-piri a gosto
·         1 KG de feijão encarnado

Coloca-se o feijão de molho de um dia para o outro. De seguida lava-se bem. Coloca-se a cozer com pouca água, 15 minutos depois de levantar fervura, deita-se água fria (aprox: 1,5 litros) e juntam-se:
o   4 Cebolas picadas miudinhas
o   O Alho picado miudinho
o   A Salsa picada miudinha
Deixar ferver durante mais 30 minutos.
Junta-se a carne feijão ainda inteira e nesse momento adicionam-se (colorau, pimenta, piri-piri, fio de azeite).
Deixar ferver até a carne estar bem cozida (30 a 45 minutos).
Quando a carne estiver cozida, retira-se, deixa-se arrefecer e corta-se aos bocadinhos.
Juntam-se mais 2 cebolas picadas ao feijão que ferve.
Descascam-se as batatas e cortam-se aos palitos e juntam-se também ao feijão.
Depois de levantar fervura, mexe-se, junta-se a carne já desossada e picada relativamente miudinho ao feijão que continua a ferver.
Adicionam-se também os enchidos cortados ás rodelas relativamente finas.
Adiconam-se os coentros
Retifica-se a ver se está bom de sal e piri-piri.
Após a batada estar cozida (15 minutos) a sopa está feita.
É servida com coentros picados para cada pessoa adicionar a gosto.
Esta receita que aqui escrevi não é de Almeirim, é de Marinhais
E... Quem come desta "Sopa da Pedra" quer sempre mais.  :)
Receita gentilmente cedida por Marília Rosa Gonçalves a quem desde já agradecemos.

2 comentários:

Albertina Granja disse...

Já conhecia a receita e a Lenda, também.
Mas é de facto uma sopa deliciosa....

José Justo disse...

...por analogia esta receita lembra-me os nosso politicos!!!sempre a pedir mais uma coisinha, vá lá,mais um bocadinho !!!e...no fim o repasto é sempre para os mesmos!!!...nobre povo, nação valente........................