.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Detido fuzileiro suspeito de liderar ataque a "Nino" Vieira 24 NOV 08 às 13:19 Foi detido o fuzileiro suspeito de liderar o ataque de domingo contra o Presidente “Nino” Vieira, anunciou esta segunda-feira em Bissau o comissário-geral adjunto da Polícia de Ordem Pública (POP) da Guiné -Bissau. Já foi detido o sargento N'Tacha Ialá, o fuzileiro da Marinha que tinha sido destacado para o aquartelamento de Canchungo na sequência da alegada tentativa de golpe de Estado de Agosto protagonizada pelo almirante Bubo Na Tchuto, informou o comissário-geral adjunto da Polícia de Ordem Pública, o coronel António N'haga. Na madrugada de domingo, um grupo de militares atacou a residência do Presidente da Guiné-Bissau, João Bernardo "Nino" Vieira, mas as forças de segurança do chefe de Estado guineense conseguiram repelir o ataque. Segundo o coronel guineense, foram detidas cinco pessoas que «estão a ser ouvidas para melhor esclarecer as circunstâncias» do ataque. No entanto, há quatro suspeitos que continuam em fuga. O coronel António N'haga afirmou também que as autoridades guineenses «não vão permitir que haja mais problemas desta natureza» na Guiné-Bissau. Apesar da situação na cidade de Bissau estar agora calma, com as pessoas e os veículos a circularem sem restrições, só o perímetro da casa de "Nino" Vieira continua com segurança reforçada, com uma forte presença militar. África Guiné-Bissau Internacional Nino Vieira

Zé Justo

.................................................................................................................

Guiné-Bissau: "Nino" Vieira pede calma aos guineenses e agradece comunidade internacional 23 de Novembro de 2008, 19:41 O Presidente da Guiné-Bissau, João Bernardo 'Nino' Vieira, perante os acontecimentos desta madrugada, pediu hoje calma aos guineenses, garantindo que tem o controlo da situação, agradeceu a solidariedade da comunidade internacional e felicitou as Forças Armadas. Segundo um comunicado lido, em nome de "Nino" Vieira, pelo porta-voz da Presidência guineense numa rádio de Bissau, o chefe de Estado tem "a situação sob controlo", mas exorta os guineenses a manterem a calma e vigilância, segundo dados da Agência Lusa. No comunicado, 'Nino' Vieira" pede os cidadãos, os partidos políticos e os dirigentes que respeitem a expressão popular exprimida nas urnas" com as recentes eleições legislativas que deram uma maioria qualificada ao antigo partido único, o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). O Presidente guineense pediu ainda aos cidadãos que se mantenham "fiéis aos ideais da democracia e da paz, por serem, sublinhou o seu porta-voz, "factores que contribuem para o desenvolvimento" da Guiné-Bissau. À comunidade internacional "em geral e às organizações sub-regionais em particular", o Presidente guineense endereçou "o profundo reconhecimento pelo apoio prestado ao país para a realização das eleições (legislativas) e pela manifestação unânime de solidariedade perante os acontecimentos desta madrugada". "Todos condenaram este acto hediondo que teve lugar este madrugada no nosso país", frisou 'Nino' Vieira. O Presidente guineense dirigiu-se ainda aos cidadãos estrangeiros residentes na Guiné-Bissau, sublinhando que, embora a situação esteja sob controlo, "é preciso reforçar a vigilância". De acordo com o porta-voz da Presidência, "tudo será feito para que os autores material e moral deste acto sejam trazidos à justiça", isto porque, destacou ainda o comunicado lido por Barnabé Gomes, a "paz e a democracia deverão reinar na Guiné-Bissau". O governo da Guiné-Bissau encontra-se reunido numa sessão extraordinária de conselho de ministros, de onde irá sair a sua posição oficial sobre os acontecimentos esta madrugada na capital.

Zé Justo

Sem comentários: