.

--

Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma! (Patoleia Mendes ).

-

"Ó gentes do meu Batalhão /

Agora é que eu percebi /

Esta amizade que sinto /

Foi de vós que a recebi…"

(José Justo)


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART
EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

do blog de Lourenço Bray, "o nascer do sol", transcrevo com a devida vénia, este interessante artigo acerca dos caminhos deste Portugal de hoje...

"Música Quando vi a notícia de que o Governo quer acabar com Ensino Especializado da Música em Portugal, a sensação que tive foi que finalmente batemos no fundo. Remeto-vos para quem percebe da coisa, o Crítico . Cresci em Torres Vedras e a única escola de música era privada. Eu queria aprender música a sério mas na altura era uma despesa que os meus pais consideravam incomportável. É certo que estas coisas são relativas, mas acabei por ir para a natação porque a mesma custava cerca de 5 ou 6 vezes menos que as aulas de música - e também era necessária. Mais tarde viria a aprender música por mim e a dedicar-me à guitarra, mas obviamente numa vertente de música contemporânea (vulgo rock ou blues) e sem saber ler pautas.Nenhuma actividade de aprendizagem é mais pedagógica do que a música. Em nenhuma outra aprendizagem existe uma relação tão forte entre esforço, disciplina, estudo e resultados. A música transforma perseverança em qualquer coisa bonita. A música é matemática na sua essência lógica, e exige a mesma concentração no seu estudo. Não é fácil nem imediata. O ensino da música a sério não apelará a todas as crianças, como é evidente. Se me justificarem que o ensino da música pode acabar porque não há procura, então aí o problema não é a existência da escola, o problema seria a falta de procura. Alguns ignorantes rir-se-iam desta frase. Para eles tudo se resume a uma questão de procura, para eles, tudo é a lei da vida, do mais forte, tudo é natural, tudo é o que deve ser. Para mim, é um mau sinal. Pode querer dizer que todos nos tormamos tecnocráticos, ignorantes e ocos como o nosso Primeiro Ministro José Sócrates. O discurso do Choque Tecnológico convenceu os pais de que um investimento em 500 mil portáteis para os putos jogarem, irem para o chat e verem pornografia é uma medida moderna e ensino da música é uma coisa velha que não serve para nada, a não ser para crianças com pais ricos. " http://onascerdosol.blogspot.com/

Sem comentários: